Como arquitetar a arquitetura?


Moteleiros do Brasil falam sobre a importância ou não de um profissional do ramo na hora de projetar

Há três opções: profissionalizar o projeto com o conhecimento técnico e conceitual de um arquiteto ou usar a experiência de mercado como moteleiro para conceber o que seria o projeto ideal na hora de reformar ou construir um motel. Ou, ainda, misturar as duas coisas e colocar as mãos na obra. Veja o que pensam os moteleiros.

“O auxílio do arquiteto é sempre importante na hora de modificar qualquer estrutura do motel, mas não acho que precisamos deixar tudo na mão deles. Sempre passo o que tenho em mente e o que quero que seja feito. Afinal, nós é que sabemos o quanto  temos para gastar. O arquiteto me ajudou a resolver, por exemplo, problemas com garagens muito apertadas. Ele otimizou o espaço e o resultado foi excelente.”

Roberto Nigro, sócio proprietário do Fox Trot Motel (SP).

“Acredito não ser tão importante a presença de um arquiteto, pois nós podemos recolher diversas idéias e reformar um quarto. Podemos nos inspirar em revistas, por exemplo. Já fiz reformas assim e deu certo. Quando comprei o estabelecimento, ele era antigo e precisava de ajustes. Os quartos não tinham tema. Fui melhorando e deixei tudo mais clean.

Robson Marinho, sócio proprietário do Motel Golf (SP).

“É muito importante a presença do arquiteto. Ele conhece as tendências atuais e também gera economia, pois sabe qual material escolher e como fazer o serviço ficar mais barato.”

Carlos Alberto Rique Junior, sócio proprietário do Lemon Motel (PE).

“A presença do arquiteto traz resultados positivos em nossas reformas. Fiz algumas, inclusive atualmente, e os benefícios maiores estão relacionados com a troca de informações e conhecimentos de ambos os lados. Acredito ter perdido muito com a ‘economia burra’ de não ter um arquiteto.”

Jacson Vendruscolo, sócio proprietário da Motel Chavelle (PR).


Conhece essa empresa. O que você acha dela?

Current month ye@r day *