Guia de Motéis Academy: o conhecimento em um clique


academy

3.455. Esse é o número de motéis em funcionamento cadastrados no Guia de Motéis atualmente. Juntos, eles movimentam cerca de 4 bilhões de reais ao ano*. Só na capital de São Paulo são 332 estabelecimentos ativos atuando na indústria de hospedagem e entretenimento 24 horas por dia.

Aos olhos de clientes ou de profissionais de outras áreas, a tarefa de administrar motéis pode até parecer fácil, afinal, basta direcionar o hóspede para a suíte e, ao fim do período, cobrar por ele. Porém, apenas os próprios moteleiros sabem o quanto é complexo lidar com o segmento. “A grama do vizinho parece sempre mais verde e, ao olhar para ela, se tem a impressão de que o negócio do outro é mais simples e lucrativo que o nosso. No entanto, motel é mais que recepcionar o hóspede, gerir esse negócio envolve inúmeros processos – que, muitas vezes, precisamos aprender no dia a dia”, avalia Eusébio Ribeirinha, moteleiro que está à frente da Rede Lorens, em São Paulo, e da presidência da Associação Brasileira de Motéis (AB Motéis).

Aprender a administrar seus negócios a partir da experiência diária não é um fato incomum entre moteleiros. Anna Thereza, responsável por um dos mais importantes motéis do Rio de Janeiro, o Vip’s Suítes, por exemplo, assumiu o negócio da família. “O Vip’s sempre foi da minha família; meu avô quem construiu e trabalhou por muitos anos, depois meu tio quem assumiu as obras e reformas. Já eu trabalho como gestora no motel há 13 anos. Antigamente não era comum encontrar moteleiros especializados, pelo contrário, eles apenas aplicavam aquilo que achavam ser correto”.

Raro mesmo é encontrar proprietários que tenham se formado em cursos de graduação e que apliquem o conhecimento obtido em estratégias para o negócio. Há, entretanto, os que frequentaram cursos e universidades, mas que fizeram da rotina diária sua verdadeira escola. Ribeirinha faz parte desse nicho: “Cursei a faculdade de turismo, mas acredito que, em se tratando do aprendizado da gestão moteleira, é o dia a dia quem me ensina, principalmente os erros”. A vivência do segmento também contribuiu com os mais de 20 anos de experiência de Carlos Rique, proprietário dos sofisticados motéis Lemon, no Recife. “Fiz vários cursos voltados à administração de empresas e de hotelaria, mas foi a partir da minha experiência que fundei o Lemon, em 2006”.

Do outro lado, cada vez mais os clientes ganham voz e se tornam exigentes. O fácil acesso à internet permitiu que hóspedes conversem entre si e decidam se irão ou não visitar um determinado motel. “A tendência é que os estabelecimentos menos profissionalizados enfraqueçam e, ao longo do tempo, sofram com essa informalidade”, avalia o diretor do Guia de Motéis, Rodolfo Elsas. “Em um setor como o moteleiro, que vende experiência a seus clientes, alcançar essa profissionalização é fundamental. No entanto, só uma categoria que se mantém unida e abastecida de conhecimento é capaz de traçar estratégias de padronização e crescimento”, analisa Elsas.

Comprometido com a profissionalização do setor, o Guia de Motéis desenvolve frequentemente eventos e ferramentas que contribuem com o seu aprimoramento. É o caso do Guia de Motéis Talks, um novo evento que visa gerar a discussão dos assuntos mais quentes e relevantes para o segmento, e do testador de motéis*, novo serviço do Guia que irá avaliar os estabelecimentos de maneira anônima. 

Guia de Motéis Academy

Focado na profissionalização, o novo projeto da empresa vai além. Batizado de Guia de Motéis Academy, o serviço tem como objetivo exclusivo a disseminação de conhecimento entre os donos de motel. “Em muitas conversas com colegas percebi que o segmento carece de conteúdos próprios. E o Academy surge para entregar isso a eles”, diz Rodolfo Elsas.

No Academy, o moteleiro irá visualizar materiais que estimulem o desenvolvimento do setor e, claro, do seu próprio motel. É o caso de palestras como 30 Dicas Para Quebrar um Motel e A Saúde Financeira da Motelaria, apresentadas pelo diretor Rodolfo Elsas em eventos presenciais, e do baralho com 64 dicas para melhorar um motel. Virtual, o acesso à plataforma é gratuito e realizado através da plataforma SAM – Serviço de Atendimento ao Moteleiro. Nela é possível que os moteleiros consumam os conteúdos de acordo com seu tempo e necessidades.

academy1

Para navegar pelo Guia de Motéis Academy, o moteleiro deve acessar o site www.guiademoteis.com.br/academy, onde será direcionado para a tela de login do SAM (Serviço de Atendimento ao Moteleiro). Lá ele deverá realizar login utilizando seu nome de usuário e senha e procurar pelo ícone do Academy, que se encontra no menu superior. Lá ele poderá visualizar todos os conteúdos disponíveis e selecionar quais deles deseja visualizar. “A ideia é que, oferecendo uma ferramenta como essa aos nossos colegas, possamos despertar o desejo de mudança entre eles e contribuir com o crescimento individual e do setor”, avalia Rodolfo Elsas.

O Guia de Motéis Academy é um serviço gratuito, disponível exclusivamente para os motéis parceiros do Guia de Motéis que possuem acesso ao SAM. Atualmente cerca de dez conteúdos variados estão disponíveis na plataforma. A ideia é que, ainda no segundo semestre deste ano, novos conteúdos sejam produzidos. “Queremos falar sobre todos os assuntos do universo moteleiro – de como arrumar uma cama a como controlar as finanças”. Além de profissionais e especialistas, o Academy pretende receber conteúdo colaborativo dos próprios moteleiros. “Quem melhor do que o próprio dono de motel para contar sua experiência e ensinar outros colegas? Vamos abrir espaço para essa troca”, promete Elsas. A ideia tem sido bem aceita pelos moteleiros. “Acho uma iniciativa importantíssima e sou grande incentivador. Com certeza, serei adepto”, foi resposta unânime entre Eusébio, Anna e Carlos.

¹ Segundo dados da Zeax Motéis, consultoria especializada em motéis

² O serviço de testador de motel foi capa da edição 72 da Revista Moteleiro 

academy3