1º Desafio Cozinha de Motel

O Moteleiro  promove 1º Desafio Cozinha de Motel e firma parceria com a Hotec e a Apam em prol da profissionalização das cozinhas de motéis

por PABLO NACER

Foi-se o tempo em que motel só era freqüentado para uma finalidade. Aliás, isso faz muito tempo. Hoje em dia os motéis são procurados para festas, como meio de hospedagem e, como não poderia ser diferente, para o romance. Nessas ocasiões, uma refeição leve ou um menu completo sempre são bem-vindos. Tanto que é cada vez maior o número de estabelecimentos que promove festivais gastronômicos, elabora cartas de vinhos e busca oferecer um cardápio com opções variadas e de qualidade. Ainda assim, a distância entre a gastronomia praticada em motéis e hotéis é muito grande. Atento a essa questão, a revista O Moteleiro procurou parceiros para provar que ter uma cozinha profissional e moderna é simples e não custa muito. Em parceria com a Hotec (Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Gastronomia e Turismo de São Paulo), com o apoio da Apam (Associação Paulista de Motéis), promoveu I Desafio Cozinha de Motel. Na mesma data, a instituição de ensino, a entidade de classe e a revista firmaram um convênio para oferecer descontos para a formação e especialização de funcionários de motéis (veja mais adiante).

No desafio, a meta era simples: elaborar um menu completo – entrada, prato principal e sobremesa – com o tema “jantar no motel”, dentro de um custo em torno de R$ 30,00. E, com isso, mostrar que bons pratos não são sinônimos de valores exorbitantes e podem ajudar os motéis a atenderem melhor as necessidades de seus clientes. Os alunos escolheram os ingredientes e criaram as receitas, enquanto os professores orientaram as duplas. “Esses alunos foram escolhidos em função do interesse e empenho que demonstraram ao longo do curso”, disse Camila Landi, coordenadora e professora do curso superior de gastronomia da Hotec.

Para degustar os pratos e escolher a dupla vencedora, além de Camila Landi e Rafael Rodrigues, também estiveram presentes Estela Rovares, proprietária do Buffet de Eventos Coorporativos – Gourmet, e este redator.  

Todos os menus apresentados estavam sensacionais. A primeira dupla optou por uma linha tradicional, totalmente adaptada ao custo, com pratos muito saborosos e corretos na execução. A segunda se manteve no clássico, porém, surpreendeu com a concentração de sabor do talharine e foi muito feliz ao criar uma sobremesa bem brasileira. A terceira dupla foi a mais ousada, inovou na polenta de açaí, soube brincar muito bem com o conceito do afrodisíaco, conseguiu viabilizar o contraponto entre terra e mar e criou uma sobremesa muito moderna. Porém, passou um pouco do custo previamente estabelecido. Por tudo isso, a dupla 2, formada pelos alunos Javier Lamelo e Edílson Mistroni, foi a vencedora em uma decisão bastante difícil. Parabéns a todos!

Cozinha de Motel – Outra iniciativa de O Moteleiro em conjunto com a Hotec é a criação de uma nova coluna fixa na revista, chamada Cozinha de Motel. O objetivo é dar seqüência às sugestões apresentadas durante o desafio, abordando as tendências e novidades gastronômicas aplicáveis ao setor de motéis, além de idéias viáveis para serem implementadas nas cozinhas. “Queremos conscientizar os moteleiros sobre a importância da profissionalização e da modernização desse segmento dentro dos motéis”, afirma Rodolfo Elsas, diretor comercial do Guia de Motéis, responsável pela publicação da revista O Moteleiro.

Em prol da profissionalização – O convênio assinado por Rodolfo Elsas, José Albino Alves Carreira, presidente da Apam e Rubens de Carvalho Pinto, diretor geral da Hotec também é fruto do projeto do I Desafio Cozinha de Motel. Certamente, estes são os primeiros passos para uma aproximação que se mostra muito promissora: a gastronomia e o setor moteleiro.

“Muitos motéis não se preocupa em profissionalizar a cozinha e o cardápio, e geralmente, usa mão-de-obra caseira. É preciso se dar conta de que uma boa cozinha não se traduz somente na oferta de pratos mais sofisticados e adequados para a situação, mas também em procedimentos de higiene corretos, desde a compra e o armazenamento dos ingredientes, até a maneira como o prato é servido. Infelizmente, ainda existem motéis sofisticados com cardápios muito próximos a de restaurantes populares”, diz Rodolfo Elsas. Segundo ele, O Moteleiro em conjunto com a Hotec e Apam querem difundir a idéia de que é possível melhorar sensivelmente a qualidade da gastronomia nos motéis, e com isso, conquistar mais clientes para o setor.

Diante do atual momento da gastronomia no País, que é de plena expansão, fica evidente a oportunidade de levar para dentro do motel quem está buscando o seu espaço neste mercado; ou então, capacitar os próprios funcionários. E é esta a idéia do convênio. Os empregados dos motéis associados à Apam e dos motéis clientes do Guia de Motéis – mais seus familiares – têm descontos na matrícula e nas mensalidades de diversos cursos ministrados pela Hotec. “É ótimo para os motéis, pois alunos e recém-formados são uma mão-de-obra com excelente custo benefício, com uma visão total do negócio e muita bagagem. Mais do que cozinheiros, eles são gestores, que sabem como compor um prato sem prejuízo e com bom custo. Tudo isso aliado a vontade de sobra para trabalhar”, declara Rafael Rodrigues, coordenador e professor do curso superior de gastronomia da faculdade Hotec.

Este intercâmbio pode ser o início de uma grande revolução nos motéis. Com um investimento economicamente viável, os estabelecimentos têm a possibilidade de profissionalizar a sua cozinha, oferecer um serviço de alto nível e com grande diferencial em relação aos concorrentes. “A idéia é mostrar para o mercado moteleiro que ter uma cozinha sofisticada está ao alcance de todos. O empresário pode mandar seus funcionários para uma reciclagem sem gastar muito e, com isso, ter novidades muito legais no seu cardápio. Também queremos mostrar o quanto é vantajoso ter um estudante de gastronomia estagiando em uma cozinha de motel, e o quanto esse novo profissional pode trazer de benefícios ao estabelecimento. O conhecimento dele aliado à experiência do moteleiro tem tudo para dar um resultado incrível!”, diz Rodolfo. Durante o curso, os alunos também têm aulas de enologia (estudo de vinho) e barismo (estudo de café), o que pode facilitar e qualificar a montagem de um cardápio.

José Carreira, presidente da APAM, reitera que o convênio veio em boa hora. “É importante termos essa ligação com a Hotec. Nossa categoria nunca se preocupou em ter profissionais desse nível, ao contrário dos hotéis, que sempre trabalharam bem a cozinha. Está na hora de melhorar. Esse convênio vai ser bom tanto para os alunos, quanto para os motéis, que terão à disposição profissionais com gabarito”, declara o presidente.

Clique aqui e veja a receita do Grupo 1.

Clique aqui e veja a receita do Grupo 2.

Clique aqui e veja a receita do Grupo 3.

Hotec – (11) 3224-0800
www.hotec.com.br

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *