Comunicando com a equipe

Podemos dizer que a comunicação é a base de todas as ferramentas da liderança. Qualquer que seja a ferramenta utilizada para conduzir equipes, de alguma forma ela passa pela comunicação. No dicionário encontramos que a comunicação humana é um processo que envolve a troca de informações.

Estatisticamente pode-se dizer que a comunicação está pautada em três aspectos: palavras que usamos (7%); linguagem corporal, não verbal (38%); e como dizemos as palavras, sons que fazemos (55%).

Isso nos faz refletir sobre o que dizemos e como somos entendidos a partir de nosso “jeito” de dizer as coisas. Uma mesma frase pode oferecer diversas interpretações a partir da entonação que se dá a ela ou ainda à pontuação que lhe é conferida. Uma mesma frase pode trazer benefícios ou prejuízos apenas com a omissão de uma vírgula.

Como devo então me comunicar? Primeiro é preciso garantir se estou sendo entendido pelo que estou dizendo. E perguntar simplesmente “Você entendeu?” não levará a lugar algum. O que se deve fazer é pedir ao outro que repita o que você disse ou simplesmente explique com suas próprias palavras o entendimento ocorrido. Mas tenha em mente que mesmo assim, mesmo o outro tendo demonstrado entendimento em relação ao que você falou, erros de execução ainda podem acontecer dado que a interpretação também pode ser diferente.

Para minimizar as consequências ocasionadas pelas dificuldades na comunicação junto às equipes, algumas medidas podem ser tomadas. Por exemplo, estabelecer rituais de comunicação.

 

Reuniões Mensais – Com toda a equipe, para garantir a mesma informação a todos, para comemorar resultados atingidos, vitórias conquistadas e também para troca de experiências.

Reuniões Semanais – Com todos os subordinados diretos, para acompanhamento de metas, verificação de status dos projetos.

Follow up Semanal – Individual com os diretos, utilizado para momentos de feedback, para discussão de problemas pontuais que devem ser tratados com discrição ou ainda para discussão sobre a equipe.

Diálogo Comigo Mesmo Não posso deixar de fazer uma retrospectiva do que fiz para avaliação e tomada de decisão. Pergunte-se: “Como estou evoluindo?”, “Que energia coloquei?”,  “O que posso fazer diferente?”. Esses questionamentos devem ser uma constante em nosso dia a dia.

O interessante mesmo é prestar atenção no que trará maiores benefícios, cuidar da forma como as coisas são ditas e comunicar, sempre.

Existem muitas formas de comunicação. Entre elas: Comunicação em Cascata, Comunicação Direta (como numa cachoeira) ou ainda Comunicação “Conta-gotas”. Todas elas oferecem benefícios, mas é preciso cuidado para saber quando cada uma tem valor e quando pode ser prejudicial.

Uma traz agilidade, pois é só falar para o mais próximo e este falará para o outro e este para o outro e assim por diante, mas essa pode se tornar o dito popular que diz “Quem conta um conto aumenta um ponto”. A outra garante a comunicação de maneira uniforme para todos, mas em contrapartida pode ser mais difícil juntar todo o grupo em função de espaço e agendas individuais. A terceira, se por um lado garante o melhor entendimento dos assuntos, por outro pode parecer que você quer “esconder o jogo”, usar a informação como fonte de poder.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *