Lugar de lixo não é no lixo

A reciclagem é uma realidade nos motéis brasileiros. O planeta todo ganha com isso, especialmente os funcionários dos motéis ecológicos

No dia a dia dos motéis há muito trabalho e, também, uma grande quantidade de lixo gerada. Mas qual o melhor destino para esse resíduo todo? E como é possível transformá-lo também num investimento, sem deixar de fazer seu papel na sustentabilidade social? Confira a opinião de alguns moteleiros.

“A melhor solução para o lixo gerado é a reciclagem; orientar funcionários com manutenção, arrumação e cozinha e disponibilizar equipamento em todos os espaços de trabalho, facilitando a separação. Reciclamos tudo, desde um prego do pessoal da manutenção até embalagens de papelão, latinhas e garrafas vazias. Com isso, reduzimos muito a quantidade de lixo – a cada 100 litros, somente 20 litros são efetivamente ‘lixo’. Cerca de 20% é colocado na coleta diária da prefeitura, e 80% separado para catadores de rua previamente cadastrados para entrar em nosso estabelecimento e retirar o descartável. Os catadores é que separam para nós, item a item. Com isso, ainda ajudamos essas famílias.”
Gilmar Garcez, proprietário do Motel Guia, Xok´s Motel e Park´s Motel (SP)

“O lixo é separado em lixeiras diferentes, incluindo lixo comum, alumínio e vidros. Vendemos para reciclagem alumínio, vidro e bombonas de plástico. O dinheiro arrecadado com as vendas é convertido em presentes, sorteados no final do ano, na festa de confraternização com os empregados, já que são eles os responsáveis pela separação.”
Tadeu Lima, proprietário dos motéis Lips e Jaguar (MG)

“Aqui, parte do lixo é reciclado e vendido. O dinheiro é todo dividido entre os funcionários. O lixo que não é possível reaproveitar na reciclagem é levado embora por uma empresa responsável.”
Daniela Vieira de Almeida, proprietária do Motel Mykonos (SP)

“Nós reciclamos todas as latas, garrafas PET e algumas garrafas de vidro, pois não há reciclagem de qualquer tipo de vidro; os demais são levados para a coleta seletiva. O óleo de cozinha também é doado. Quanto ao papel, não há quantidade significativa para reciclagem. A maior parte dos resíduos se origina das refeições (copa) e é descartada no lixo comum em sacolas plásticas.”
Camila Castro, proprietária do Motel Pampulha (MG)

“As garrafas e latas a gente separa e vende. Quem faz essa separação são os próprios funcionários do motel. Já o lixo orgânico nós encaminhamos para empresas específicas. O dinheiro gerado com a reciclagem é utilizado na festa de fim de ano dos funcionários.”
Rachel Teixeira Pinto, proprietária do Motel Royalle (MG)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *