O que a fachada fala sobre o seu motel

A “cara” do seu motel está sorrindo ou transmitindo sensações negativas a respeito dele?

O sorriso é o nosso cartão de visita. Parece papo de dentista, mas pense bem: é a primeira impressão que você causa em quem chega para uma conversa. Vamos trazer isso para nossa realidade de negócio. A fachada de um motel não cumpre o mesmo papel? É claro que sim. Como é muito bem mencionado em nossa matéria de capa, a beleza dessa área é, certamente, fator de peso na decisão de qualquer pessoa que procura um local para se divertir e relaxar.

Um motel bem cuidado, antenado às tendências do mercado, com estrutura e serviços de qualidade para oferecer aos seus hóspedes, deve refletir todo esse conceito em sua área mais vista, seja por quem entra ou por quem apenas passa em frente: a fachada! Da mesma forma o caminho inverso também se faz verdadeiro. O que você imagina quando passa perto de um hotel caindo aos pedaços, com pintura descascada ou completamente sem estilo? Na minha cabeça, pelo menos, a frase que não quer calar é: “Eu não fico nessa espelunca nem a pau!”. Com motéis não é diferente.

Por isso, ao fazer essa reportagem e promover internamente na nossa equipe a eleição das dez fachadas mais bonitas do Brasil, buscamos avaliar a estética sim, isso é inegável. Mas também levamos em conta a comunicação entre a área externa com as suítes e os ambientes comuns do motel.

Essa eleição, no entanto, traz uma pequena mostra, um número simbólico de motéis que ganharam nota dez no quesito fachada. Se fôssemos estampar em nossas páginas todos os estabelecimentos do ramo que se destacam pela beleza e arquitetura, precisaríamos de algumas edições. Então, a todos aqueles que sabem da importância da arquitetura no nosso segmento, deixo os meus sinceros parabéns. E para quem ainda não percebeu o quanto um bom projeto, seja de fachada, suíte ou até da garagem pode fazer a diferença, fica um recado: seu cliente, se ainda não trocou, vai trocar o seu motel por outro mais bonito e confortável. Aproveite essa matéria para inspirar-se e colocar a mão na massa, quer dizer, na prancheta e no cimento!  Sempre, é claro, com a ajuda de um profissional, o que gera economia de recursos e resultados mais satisfatórios e atuais.

Rodolfo Elsas é diretor comercial do Guia de Motéis.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *