Todo ser humano gosta de ser elogiado

É a forma de obter, pela observação do outro, a mesma sensação de satisfação por ter realizado algo. Você dá isso a sua equipe?

Vivemos em comunidade. Entender a interdependência, ou seja, que no fundo dependemos uns dos outros, nos torna mais maduros. Quando o que fazemos é percebido pelos que estão à nossa volta, isso fortalece nosso comportamento, nos reforça e nos incentiva a repeti-lo. E no trabalho isso promove também um ambiente positivo, onde todos ganham.

O risco é acreditar que a única alternativa para ser feliz é sendo reconhecido pelos outros. Mas, como líder, devo me preocupar em reconhecer o trabalho de meus funcionários. Muitos colaboradores quando não reconhecidos, acabam permitindo que sua auto-estima vá lá para baixo, junto com a sua motivação, o que prejudica bastante a produtividade. Mas reconhecer é fácil, às vezes um simples “ficou muito bom!” já traz sensação de bem-estar e dever cumprido.

Reconhecendo sempre, você tornará sua rotina um ciclo virtuoso. É importante que os colaboradores pensem: “faço bem feito, sou reconhecido, vou buscar fazer melhor para ser reconhecido novamente”. Simples, não é? Mas o seu papel como líder é fundamental neste processo.

Outro ponto importante do reconhecimento é entender que os objetivos individuais são diferentes. Não é porque um funcionário almeja ser o presidente da empresa, que todos quererem a mesma coisa. Além do querer, é preciso saber fazer bem feito.

Se desenharmos uma matriz de desempenho versus potencial, um indivíduo de alto desempenho e baixo potencial pode agregar muito valor à sua equipe. O desafio é entender este processo como positivo, aceitá-lo e valorizá-lo. Um excelente atendente, por exemplo, poderá se tornar um gerente de atendimento apenas razoável, pois terá outras responsabilidades além de atender, que é o seu forte. Sendo cobrado por estas outras responsabilidades, ele até ganhará mais, no entanto desviará a atenção do que realmente gosta de fazer e ficará bastante desmotivado. Portanto, é preciso estar preparado para aceitar este tipo de profissional, que aparentemente não quer crescer.

Ainda hoje a maioria das empresas valoriza a ascensão vertical. Porém, já é possível encontrar algumas onde o colaborador pode escolher entre a carreira técnica e a gerencial, o que é um grande avanço. Você já pode começar a fazer isso na sua empresa.

Para manter sua equipe com alto grau de comprometimento é importante observá-la e conversar com todos individualmente. O reconhecimento pode trazer a realização, a realização traz felicidade e paz de espírito. É fácil ver alguém realizado: seus olhos brilham. E de novo… todos ganham! O ciclo virtuoso é continuo!

Teresa Campos Salles, diretora da TECS Consultoria e Desenvolvimento é formada em Administração de Empresas, com especialização em Desenvolvimento Humano e em Gestão por Competências.
teresa.salles@tecsconsultoria.com.br

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *